top of page
  • Karoline Rodrigues

Transparência, confiança e autorresponsabilidade

Um dos meus filmes preferidos: Secretariat. Uma história linda, e com muitas lições.


Eu tenho esse trecho salvo no meu rolo da câmera há muito tempo. É o diálogo entre Penny Chenery Tweedy (proprietária do Secretariat, aka “Red”) e Lucien Laurin (seu treinador), antes da última corrida da Tríplice Coroa, a qual ele também ganhou, com dezenas de corpos de vantagem:


P: O que foi Lucien? Qual o problema?

L: Nada.

P: Ele acabou de vencer o Preakness, como venceu o Derby, e você fica olhando para o seu café. Você está preocupado com o Red?

L: Desde Citation em 1948, 7 cavalos venceram o Derby e depois o Preakness, e cada um deles falharam na Tríplice Coroa.

P: Bem, ele acabou de vencer as duas primeiras em tempo recorde.

L: Sim, e Belmont é o cemitério dos cavalos de corrida. É a corrida mais longa de todas.

P: O que você sugere? Deixamos ele descansar, certo? Deixamos que ele se recupere.

L: Sim… Aham…

P: Mas você não quer recuar.

L: Em todos os meus anos de treinador, eu nunca tive um cavalo que ama tanto correr como ele. Você coloca ele pra correr num dia, ele será mais rápido no dia seguinte. Meu instinto? Meu instinto é treiná-lo forte, acender esse fogo. Mas se eu estiver errado, dirão que eu não só arruinamos as chances dele na Tríplice Coroa, mas dirão que arruinamos o cavalo.

P: Red não tem medo, e nem eu.

L: Lembre-se, que se o pressionarmos ao invés de descansá-lo, pode ser perigoso. Ninguém sabe o quanto ele aguenta.

P: Ele sabe.


TRANSPARÊNCIA. A conversa acima diz muito sobre tomada de decisões quando se trata de um cavalo atleta, de modo que todos devem (ou deveriam) ter todas as informações necessárias para tomar decisões importantes, de comum acordo, de forma transparente, profissional e coordenada.


CONFIANÇA. É importante que todas as partes envolvidas confiem nos profissionais envolvidos. O proprietário precisa confiar no treinador, e ambos confiarem na equipe, como veterinário e ferreiro. Todos devem ter as mesmas informações, para avaliar os riscos de situações difíceis que possam envolver um cavalo atleta, confiando que estão fazendo o seu melhor, avaliando todos os desdobramentos possíveis.


AUTORRESPONSABILIDADE. Com todas as informações sendo claramente divididas entre os responsáveis pelo animal, cada um deve ter consciência das consequências de suas decisões. Se o proprietário conhece todas as circunstâncias que dizem respeito ao treinamento e à saúde do animal, e tudo isso lhe foi passado de forma transparente e ele confia nos profissionais envolvidos, ele deve assumir sua parcela de responsabilidade em uma decisão relacionada ao animal. O mesmo vale para os demais envolvidos.


Como administradora de um centro de treinamento, não ouso dizer que o nosso jeito é o certo. Muito menos que nunca erramos. AO CONTRÁRIO. É por isso que escrevo aqui. É exatamente porque erramos, e não é pouco, que nos vimos motivados a mudar, abertos a aprender, e idealmente enxergar o que podemos fazer melhor. Estamos sempre nos deparando com situações diferentes, pessoas diferentes, erros diferentes, e diante de tudo isso somos instados a reavaliar nossos processos constantemente.


Muitas coisas que antes fazíamos porque na nossa cabeça eram óbvias, nem sempre são para os proprietários. Não é porque achamos que é o certo ou o óbvio a ser feito, que não precisa ser consultado, informado, detalhado, dividido. Tudo precisa ser informado e dividido da forma mais transparente possível. E além disso, precisamos sempre pensar no melhor para o cavalo, para o proprietário e o esporte. Transparência inspira confiança, e juntas, fazem de cada um de nós autorresponsáveis pelas decisões em qualquer aspecto.


Ter essa tríade sempre em mente ajuda muito a administrar a atividade, e tornar mais profissionalizado o negócio, que é uma coisa que tanto buscamos na nossa indústria.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page